Economia

Principais cortes bovinos sobem mais de 25% no varejo em Mato Grosso

O levantamento feito pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária apontou alguns cortes de carne estão custando mais para os consumidores, no Estado. No comparativo entre abril deste ano e o do ano passado, houve aumento médio de 25,72%, de acordo com o instituto.

O maior reajuste foi no preço do músculo, que subiu 39% passando de R$ 20,14 para R$ 28,27 em média. No coxão duro, 38% a mais, passando de R$ 24,34 para R$ 34,69. A capa do filé aumentou 37%, era vendida a R$ 21,38 e foi para 29,68 em média. A picanha também subiu 33% e hoje em média é vendida a R$ 59,21.

Bastante consumida, a maminha subiu 28%. Era R$ 33,29 e está R$ 43,15. Outra opção para o churrasco é a costela que também subiu 27% e, agora, está R$ 22,16. O cupim e a alcatra subiram 25% passando para R$ 33,79, R$ 44,08, respectivamente. O patinho foi de R$ 27,82 para R$ 34,69, ou seja, 24% a mais. O corte que teve o menor aumento foi o filé mignon, 14,85%. Era 46,86 e está R$ 53,85.

Em Sinop , segundo dados do levantamento feito pelo Centro de Informações Socioeconômicas (Cise) da Unemat, em parceria com a Câmara de Dirigentes Lojistas, de fevereiro para março a carne subiu 1,21% em parte dos supermercados.

Só Notícias/David Murba