Economia

Presidente da CDL Sinop defende redução do ICMS para mais setores empresariais

O presidente Câmara de Dirigentes Lojistas de Sinop, Marcos Antônio Alves, defendeu, em entrevista, ao Só Notícias, a redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) para mais setores do empresariado. Atualmente, apenas empresas de calçados, vestuário, confecções e tecidos terão redução a partir de agosto. O benefício será concedido para milhares de empresas que registrarem, em 12 meses, faturamento bruto de até R$ 90 milhões.

“Também precisa melhorar para outros segmentos, precisa ser revista essa questão tributária. Tem muitos outros (setores da economia) que estão bem impactados também pela pandemia. Precisamos de mais subsídios nesse momento e em todos os momentos, para (segmentos da) construção, ferro e todos que estão abertos enfrentando a pandemia”, disse o presidente.

O presidente defendeu ainda que os demais setores que movimentam a economia e garantem empregos “precisam ser melhor avaliados porque existe muita tributação, existem cobranças indevidas de impostos, a carga tributária é muito forte para os empresários e influência muito na abertura e fechamento de empresas”.

Para os setores beneficiados, Marcos disse que “pedimos levantamento para vermos a real redução que vai ocasionar e quanto vai impactar na nossa economia, no seguimento em Sinop. O valor já ajuda bastante o pequeno e média empresário, mas é claro que precisa ainda muito mais”.

Contribuintes do Simples Nacional que faturam por ano um valor acima do sub limite de R$ 3,6 milhões também podem optar pela redução da base de cálculo do ICMS porque, ao atingir essa faixa de receita bruta, as empresas passam para a apuração normal do imposto.

Para que essa mudança na tributação, referente a quem sai do Simples Nacional, não aconteça com um aumento da carga tributária repentino, o governo de Mato Grosso concedeu a redução da base de cálculo do ICMS. Além de proporcionar o crescimento das empresas, a medida é uma forma de auxiliar aqueles que foram mais impactados pela pandemia do Covid.

Só Notícias/David Murba (foto: assessoria/arquivo)