Economia

Postos de Sorriso encaminharão planilha de custos sobre preços dos combustíveis

O preço do litro da gasolina que vem sendo praticado pelos postos de Sorriso foi tema de uma audiência pública realizada pela Câmara Municipal de Sorriso na tarde desta quinta-feira, 17. O objetivo foi de discutir o valor cobrado no município, que, segundo pesquisa da Agência Nacional de Petróleo (ANP) é o mais caro de toda a região Centro-Oeste. Na reunião, presidida pelo vereador Jaburu (sem partido), estiveram presentes o diretor do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Mato Grosso (Sindipetróleo) em Sorriso, Laércio Estrela, donos de postos, vereadores, os consultores Roberto Cavalcanti Batista e Luiz Otávio Xavier Pinto e a comunidade.

A primeira informação repassada pelos consultores, – convidados para falar em nome dos empresários do segmento-, foi de que os postos de Sorriso estarão realizando um levantamento de custos. O intuito é dar satisfação à sociedade e às autoridades sobre a necessidade de manutenção dos preços, a fim de atender, principalmente as responsabilidades fiscais e sociais das empresas de revenda de combustíveis.
“Com esses dados o consumidor saberá o que ele está pagando e a quem está pagando”, diz o advogado Roberto Cavalcanti Batista, um dos responsáveis pelo trabalho. Segundo ele, quando o consumidor enxerga na bomba de gasolina o preço final do produto não imagina as dezenas de itens que compõem o seu custo como os tributos e taxas. Questionado sobre a diferença de preços entre Sorriso e as cidades da região, Cavalcanti frisa que é necessário levar em consideração a localização das bases distribuidoras. “Em Sinop, por exemplo, a gasolina é mais barata porque lá os postos contam com o abastecimento de bases instaladas no próprio município, enquanto que Sorriso precisa buscar o produto na vizinha cidade, em Cuiabá ou em Paulínia – (SP)”, explicou.

A planilha deve ficar pronta nos próximos meses. Dentro de 20 dias haverá uma nova reunião para discutir o assunto. Na opinião do vereador Jaburu, o resultado da reunião não foi satisfatório. “Eu esperava um planilhamento pronto. Agora, vamos aguardar a elaboração desse levantamento para continuarmos com o debate”, concluiu.