Economia

Novas técnicas ajudam madeireias no Nortão a reduzir impactos ambientais

Técnicos e diretores de 9 departamentos regionais do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de Mato Grosso (Senai) de 9 Estados da região amazônica, estiveram reunidos em Sinop para discutir a criação de uma rede de apoio a iniciativas promissoras voltadas para uma rede florestal de impacto reduzido. “Todos estão voltados para exploração florestal e nós pretendemos sensibilizar os outros estados a também adotar essas técnicas de manejo florestal de impacto reduzido, criando uma rede de apoio e, se possível, replicando essas técnicas em outras escolas de florestas desses outros Estados”, disse o diretor regional do Senai de Mato Grosso, Gilberto Figueiredo, idealizador do encontro.

O encontro serviu para lançar o Dia de Campo na Escola de Floresta, no município de Santa Carmem, que começou ontem e vai até amanhã, com o slogan ‘Plante esta idéia’. “Em três anos de experiência com o Projeto Jamanchim e com a nossa escola de floresta, diga-se de passagem a primeira e a única do Brasil, nós pretendemos agora disseminar as ações realizadas pelo projeto ministrando cursos nas áreas de manejo florestal de impacto reduzido”, salientou.

“Mas também temos o objetivo de, através do Projeto Plante esta Idéia, defender a tese de que é possível fazer desenvolvimento econômico de forma sustentável, explorando os recursos naturais reduzindo seus impactos e perpetuando a exploração florestal de uma forma bastante planejada. Portanto, ficamos no meio termo entre aqueles que defendem que o desenvolvimento econômico não deve contribuir no devastamento e os que acham que os recursos florestais são muito importantes para o nosso país”, acrescentou.

As redes de apoio servirão para dar sustentabilidade aos treinamentos de engenheiros florestais e profissionais de madeireiras que estão distribuídos na Amazônia Legal. Como parceiros, essas redes de apoio poderão contar o cofianciamento do KFW (Banco de Reconstrução da Amazônia), Programa Pró Manejo do Ministério do Meio Ambiente (coordenado pelo Ibama – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente), Madeireira Coimal (que sedia a Escola de Floresta em Santa Carmem), Ministério do Meio Ambiente, Senaflor e os departamentos regionais do Senai.

Só Notícias apurou que os investimentos para esses projetos serão de R$ 3 milhões em 2005. Os recursos, que virão do Senai, Madeireira Coimal, KFW e Ministério do Meio Ambiente através do Ibama, servirão no sentido de sensibilizar e disseminar as técnicas de manejo florestal de impacto reduzido nos 9 estados que compõem a Amazônia Legal. Sendo, Tocantins, Mato Grosso, Rondônia, Amazonas, Para, Roraima, Acre, Amapá e Maranhão.