Economia

Mato Grosso deve receber R$ 322 milhões metade do previsto do pré-sal; Sinop deve ficar com R$ 2 milhões

Mato Grosso deve receber R$ 322 milhões com o leilão realizado hoje, pelo governo federal dos blocos de pré-sal de petróleo. É metade do que estava previsto antes, de R$ 665 milhões. Dois grandes blocos não foram arrematados e, com isso, caiu muito a projeção do governo federal de arrecadação total que era de R$ 10,8 bilhões mas ficou em R$ 5,3 bilhões.

Os municípios ficam com 15% do total a ser repassado pelo governo federal para os Estados. A projeção é que Sinop receba cerca de R$ 2,2milhões (antes era R$ 4,4 milhões); Cuiabá esperava R$ 14 milhões e deve ficar com R$ 7,3 milhões, Várzea Grande que esperava R$ 6,5 milhões deve ficar com R$ 3,2 milhões assim como Rondonópolis. A previsão é que Sorriso receba R$ 17 milhão, Lucas do Rio Verde R$ 1,4 milhão, Nova Mutum R$ 1,1 milhão, Tangará da Serra R$ 1,6 milhão, Guarantã do Norte R$ 950 mil assim como Peixoto de Azevedo e Colíder. Para Matupá,  devem ser repassados R$ 610 mil.

O valor total a ser repassado para Mato Grosso é quase três vezes maior que de Mato Grosso do Sul que ficará com R$ 122 milhões e supera o de São Paulo com R4 300 milhões.

A distribuição que o governo federal fará é da cessão onerosa, definição para o contrato de exploração de petróleo em uma área de pré-sal na Bacia de Santos (SP). O Senado aprovou o projeto do governo distribuindo o dinheiro do leilão para Estados e municípios (que ficam com 15%). O governo federal ficou com 67% dos R$ 69,9 bilhões.

Dois blocos não foram arrematados pelas gigantes do exterior que disputaram com a Petrobras. Se todos blocos fossem arrematados a previsão era o governo federal receber R$ 10 bilhões.

 

 

 

Só Notícias (foto: Tania Rego/Agência Brasil)