Economia

Mato Grosso perdeu mais de 890 empregos formais em maio; setor de serviços lidera

Indústrias e empresas de diversos segmentos no Estado demitiram 892 funcionários a mais, com carteiras assinadas, no mês de maio, segundo dados divulgados, há pouco, pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) da secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia. Foram 22.123 desligamentos e 21.231 contratações.

No detalhamento dos dados Só Notícias constatou que o setor de serviços liderou o ranking de demissões. Foram 937 vagas fechadas a mais, saldo de 6.556 desligamento e 5.629 contratos assinados.

O comércio teve o segundo pior resultado ao mandar embora 680 trabalhadores, resultado de 6.798 desligamentos e 6.118 contratações. Na sequência, aparece a construção civil com 16 vagas encerradas a mais, saldo de 2.216 desligamentos e 2,6 mil contratos formalizados.

Por outro lado, mesmo com à pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), a indústria contratou 706 trabalhadores a mais, saldo de 4.208 contratos assinados e 3.505 encerrados. A agropecuária gerou 35 novas vagas, diferença de 2.276 admissões e 2.641 pessoas mandadas embora.

Conforme Só Notícias já informou, nos meses de janeiro e fevereiro, o Estado gerou 7.517 e 2.253 empregos formais, respectivamente. Já no período que começou à pandemia, o saldo foi negativo. O mês de março terminou com 2.590 vagas de empregos encerradas e em abril foram 11.531 trabalhadores demitidos.

Só Notícias/Cleber Romero (foto: assessoria/arquivo)