Economia

Madeireiros e trabalhadores no Nortão ainda não fecharam acordo de aumento salarial

O SITICON -Sindicato dos Trabalhadores da Indústria e Construção e Mobiliário do Norte- com sede em Sinop não aceitará a proposta de aumento salarial proposta pelo SINDUSMAD- Sindicato das Indústrias Madeireiras- proposta para os trabalhadores nas indústrias madeireiras do Nortão. Os trabalhadores pediram 18% (tomando com base o Índice Nacional de Preços ao Consumidor) e os patrões estão ofereceram inicialmente 3,5% e a nova proposta é de 6,08%, diz o presidente do Sindusmad, Jaldes Langer.

“Dentro de uma negociação há várias discussões. Oficialmente temos a proposta de 3,5%. Nas conversações que tivemos o Sindusmad manifestou a intenção de reajustar 6,08%”, confirmou o presidente do Siticon, Vilmar Galvão. “Não aceitamos este índice para o piso salarial dos trabalhadores das madeireiras e vamos continuar negociando”, declarou o presidente do Siticon, Vilmar Galvão.

“O valor inicial de 3,5% é inegociável mas a sinalização do setor patronal avança as negociações. O Sindusmad afirmou inicialmente que esse número é por causa das dificuldades que as indústrias estão sofrendo. Mas nós sabemos que isso não é verdade porque dados do Ministério do Trabalho confirmam que o índice de emprego em Sinop vem crescendo. O índice de contratação está superando o de desligamentos nos meses de janeiro e fevereiro, em relação à 2004. Então, se a situação é essa, é porque algo diferente daquilo que a classe patronal argumenta está acontecendo”, ressaltou Vilmar.

O índice foi apresentado ontem, em uma reunião de duas horas entre as duas entidades representativas da classe do setor madeireiro, mas segundo Vilmar uma nova reunião acontecerá na próxima quarta-feira. “A reunião foi importante. Eles apresentaram sua justificativa as discussões estão sendo de alto nível. Eles (madeireiros) entendem que o trabalhador esta ganhando pouco e que esse índice de 18% não significa nada, além do que trabalha com dificuldades. Por isso vamos abrir uma nova discussão na semana que vem e apresentar uma contra proposta”, ressaltou.

Só Notícias apurou que o valor pretendido de reajuste pelo Siticon é de 15,38%. Em Sinop, são 4.468 trabalhadores do setor madeireiro registrados no Ministério do Trabalho, que recebem o teto mínimo R$ 300 e máximo de R$ 1,2 mil. Tem ainda aproximadamente mil trabalhadores que exercem as funções sem carteira de trabalho devidamente assinada.