Economia

Instituto Senai de Tecnologia de MT orienta empresas a obter verbas na implantação de tecnologia 4.0

Instituto Senai de Tecnologia de Mato Grosso fará uma live, nesta quinta-feira, às 16h, para explicar como empresas do Estado podem submeter projetos e conseguir recursos do ‘Edital Finep – Tecnologias 4.0’. A nível nacional são R$ 50 milhões disponibilizados em recursos não reembolsáveis para apoiar projetos de inovação nas áreas da indústria, agronegócio, Cidades Inteligentes, e saúde. Cada empresa poderá apresentar projeto com valor mínimo de R$ 500 mil e, o máximo, R$ 5 milhões.

As propostas deverão ser enviadas até 30 de julho, contemplar ao menos uma tecnologia habilitadora, tais como 5G, Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial, Robótica Avançada, Computação em Nuvem, Realidade Aumentada ou Manufatura Aditiva. As linhas temáticas são Indústria (processos 4.0, virtualização de ambientes, e máquinas e equipamentos 4.0); Saúde (sistemas de predição, monitoramento remoto, telemedicina, gestão hospitalar, e prevenção e controle de epidemias); Agropecuária (agricultura, pecuária de precisão e sistemas transversais à agricultura e pecuária); Cidades inteligentes (logística urbana, segurança pública, saneamento ambiental, e monitoramento e desastres naturais).

As propostas de submissão de projetos devem estar acompanhadas de um plano de negócios e o Instituto Senai de Tecnologia de Mato Grosso pode auxiliar empresas em submeter projetos. “Temos toda competência necessária para apoiar as empresas interessadas em elaborar um plano de projeto para requerer recursos desse edital da Finep e, ainda, desenvolver provas de conceito e  protótipos para a implantação das tecnologias habilitadoras da indústria 4.0. Empresas de todo o estado podem contar com o Instituto Senai de Tecnologia”, afirma a gerente Layla Teixeira.

Além de Layla, o representante da Finep, Fernando de Nielander Ribeiro e o coordenador de Tecnologia do Senai MT, Bruno Cavalcanti, participarão da live. Para participar basta se inscrever aqui.

A informação é da assessoria da Federação das Indústrias de Mato Grosso (FIEMT).

Só Notícias