Economia

Ferrugem asiática já se alastrou por todo o Estado

Um relatório feito por um laboratório de análises de soja da região divulgou o balanço geral de pesquisas realizadas nas plantações do Nortão durante pouco mais de 4 meses, de 1º de novembro do ano passado até o dia de hoje.Os resultados são alarmantes, estima-se que mais da metade da área plantada esteje tomada pela doença e teme-se que os prejuízos sejam maiores do que o esperado.

Em Sinop 132 focos foram detectados, em Claudia e Vera 8, Tabaporã são 32, Santa Carmem 28, Vila Simione 4, Tapurah 17 e Porto dos Gaúchos 20. No total nas regiões mais próximas de Sinop foram encontrados aproximadamente 250 focos.

Em outras cidades do Estado a situação é ainda mais grave. Sapezal bateu recorde com 528 focos encontrados. Sorriso são 251, Campo Novo do Parecis 364, Lucas do Rio Verde 50 e Nova Mutum 189. Esses números somam 1382 focos de ferrugem asiática, nas localidades mais críticas do Estado.

Por todo o Mato Grosso aproximadamente 1650 focos já foram detectados. E as expectativas dos produtores não são das melhores. Eles temem que esse número aumente, por causa do grande volume de chuvas. Elas atrapalham na aplicação dos defensivos o que permite que a doença se alastre com maior rápidez e sem controle.

“Um número preocupante e que já traz prejuízos aos agricultores, sem contar os focos que ainda não foram detectados. 40 à 50% das plantações que têm a ferrugem já estão perdidas”, disse anteriormente ao Só Notícias o presidente do Sindicato Rural de Sinop, Antônio Sérgio Rossani.