Economia

Empresas pedem R$ 12 milhões ao FCO para investir em Sinop e outros municípios

Os membros da Câmara Setorial de Indústria e Comércio se reuniram nesta quarta-feira, na Secretaria de Indústria, Comércio, Minas e Energia (Sicme) para aprovar 15 cartas-consultas do Fundo Constitucional do Centro Oeste (FCO), no segmento ‘Empresarial’. Das cartas-consultas apresentadas apenas uma foi rejeitada pelos conselheiros para adequação do projeto ao limite de financiamento do FCO. As demais aprovadas solicitaram recursos do Fundo na ordem de R$ 12.778.689,20.

As empresas que solicitaram os financiamentos do FCO planejam realizar investimentos nos municípios de Sapezal, Feliz Natal, Sinop, São José do Rio Claro, Cáceres, Primavera do Leste, Tapurah, Lucas do Rio Verde, Diamantino, Jaciara, Cuiabá e Rondonópolis.

De acordo com a Assessoria Técnica da Sicme, até o dia 31 de maio foram contratados cerca de R$ 7 milhões, para 17 micro e pequenas, enquadradas nos programas de comércio e serviços, desenvolvimento industrial, turismo regional e infra-estrutura. O limite orçamentário para as micro e pequenas empresas é de R$ 107 milhões, porém a demanda desse segmento está em R$ 41 milhões.

Para as médias e grandes empresas, até o dia 31 de maio, foi contratado o valor de R$ 2,4 milhões, para apenas uma empresa. O limite orçamentário desse segmento é de R$ 127.945.000,00 e a demanda é de R$ 255 milhões, que foram solicitados por 97 empresas.

De acordo com a Assessoria Técnica da Sicme, o relatório gerencial de excepcionalidade do Banco do Brasil, a ser contratado em 2005, é de aproximadamente R$ 114 milhões.

Os conselheiros da Câmara Setorial de Indústria e Comércio também aprovaram um descredenciamento e quatro credenciamentos de empresas no Proarroz, o descredenciamento de três empresas do Promadeira, um laudo de vistoria e três cartas-consultas para o enquadramento de empresas no Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial de Mato Grosso (Prodeic), duas cartas-consultas para enquadramento de empresas no Programa de Desenvolvimento Industrial de Mato Grosso (Prodei) e duas consultas-prévia de empresas que solicitaram recursos do Fundo de Desenvolvimento Industrial e Comercial de Mato Grosso (Fundeic).