Economia

Cai índice de custo de vida em Sinop

A crise econômica de Sinop pode estar cedendo aos esforços da sociedade como um todo em superá-la, é o que aponta o novo Índice de Custo de Vida de Sinop (ICVS) referente ao mês de julho. Conforme o chefe do Departamento de Economia da Universidade de Mato Grosso (Unemat) em Sinop, Paulo José Körbes, está havendo uma reversão nos preços do comércio geral de Sinop. Neste mês, o ICVS apontou uma deflação de 0,28%, queda inferior ao mês passado, quando apresentou deflação de 0,63%.
“Embora os preços ainda estejam sendo pressionados para baixo, a queda menor do que a do mês anterior pode indicar reversão de tendência. Além disso, acompanham o comportamento dos preços a nível nacional, uma vez que o INPC de julho apresentou pequena alta de 0,03%. Eu esperava uma queda maior”, disse, ao Só Notícias. No mês de junho o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) apresentou deflação de 0,11%.

Com esses números pode-se dizer que o ICVS está aumentando, ou seja, os preços do comércio de Sinop estão se elevando aos poucos. “Podemos ver, por exemplo, que neste mês já não houve tantas promoções nas lojas quanto no mês passado. Sendo assim, os comerciantes estão voltando a ter mais facilidades para fazer o giro de suas mercadorias”, afirma Paulo acrescentando que as maiores baixas foram observadas nos grupos de eletroeletrônicos (-2,90%) e alimentação (-0,42%).

Segundo o secretário Municipal de Indústria, Comércio, Turismo e Mineração de Sinop, Norival Campos Curado, pode-se afirmar que a crise econômica de Sinop está sendo superada. “Podemos ver até mesmo pelos eventos que estamos realizando no município, que vêm dando maior força ao nosso comércio. O número de lojas que estão sendo inauguradas na cidade aumentou, o número de registros de novos CNPJs e até mesmo de emplacamentos de veículos também já aumentaram. Além do que, estamos conseguindo controlar o índice de desemprego de Sinop. Nossa economia está, sem dúvidas, voltando ao normal”, disse, otimista, ao Só Notícias.

Nos últimos 6 meses o ICVS apresentou variações de quedas e altas totalmente distintas mas não havia apresentado deflação até o mês de junho, sendo que em fevereiro foi de 0,34%, em março foi de 0,74%, abril de 0,41% e maio de 0,52%.
O INPC também havia apresentado variações mas com deflação apenas em junho. 0,44% em fevereiro, 0,73% em março, 0,91% em abril e 0,70% em maio.
Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com o resultado de julho, o INPC acumulou 3,31% no ano, abaixo dos 3,89% registrados em igual período de 2004. Nos últimos doze meses, o índice situou-se em 5,54%, taxa inferior aos doze meses imediatamente anteriores, 6,28%. Em julho de 2004, o INPC havia registrado variação mensal de 0,73%.