Economia

Aposentados de Sinop estão revoltados com o novo aumento de remédios

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) anunciou ontem um novo aumento de 7% nos medicamentos no próximo dia 31. Mas esse aumento é maior do que o aumento de 5%, em maio, no valor do benefício que os aposentados recebem.

Em Sinop há cerca de 4,5 mil aposentados e pensionistas, estes gastam em média 40% do dinheiro que recebem, na compra de medicamentos. Hoje esse valor passa de R$ 100 por mês. “Sem contar que têm alguns aposentados que gastam todo o benefício em remédios”, disse ao Só Notícias, o presidente da associação de aposentados de Sinop, Isaltino Carlos Almeida.

Segundo ele, esse aumento é uma grande injustiça e a única coisa que os aposentados têm a fazer é se revoltarem calados. “Sempre que se anuncia um aumento do salário mínimo, faz-se isso 4 ou 5 meses antes da data em questão. Quando o aumento realmente acontece, os preços de todas as outras coisas também já subiram. Na minha opinião não se deveria anunciar com tanta antecedência o reajuste salarial, porque senão vai ser sempre assim. Quando a classe mais desfavorecida pensa que vai ter uma renda maior, já tem que gastar mais com os novos preços. Ninguém pensa em aumentar o valor do auxílio aos aposentados e esses têm que gastar cada vez mais com medicamentos”, disparou.

Segundo a Anvisa, o reajuste nos medicamentos é por causa dos índices diferentes, divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que são com base no IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), este ficou 7,39% nos últimos 12 meses.

As aposentadorias, são reajustadas com base no INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), que nos últimos 12 meses, acumulou somente 5,91%. No ano passado, a taxa de inflação ficou em 6,69%, e os remédios tiveram reajuste autorizado de 6,2%. A agência regula o preço de 15 mil medicamentos.