Economia

ANP registra leve aumento no preço do diesel em Mato Grosso após fim de subsídio

O preço médio do litro do diesel teve um leve aumento em Mato Grosso. De acordo com o último levantamento divulgado pela Agência Nacional de Petróleo (ANP), o valor do litro chegou a R$ 3,92 no Estado, com base em pesquisa feita entre os dias 30 de dezembro e 5 de janeiro. No levantamento anterior, o combustível era vendido, na média, a R$ 3,91.

Conforme a pesquisa, nos últimos dias, em duas cidades pesquisadas em Mato Grosso o aumento foi maior. Em Sorriso, passou de R$ 3,94, no levantamento feito entre 23 e 29 de dezembro, para R$ 3,98, no último estudo. Em Cuiabá, subiu de R$ 3,82 para R$ 3,84.

Outros dois municípios de Mato Grosso tiveram queda. Em Alta Floresta, diminuiu de R$ 4,17, Em Rondonópolis, passou de R$ 3,95 para R$ 3,94. Já em Cáceres (R$ 3,75), Sinop (R$ 3,96) e Várzea Grande (R$ 3,84), os preços se mantiveram no mesmo patamar entre os dois levantamentos.

No último dia 31, a Petrobrás anunciou que o preço médio nacional de comercialização de diesel em suas refinarias subiu 2,5%, passando a ser R$1,8545 por litro. O novo valor decorre do fim do subsídio pactuado entre o governo federal e os caminhoneiros que lideraram a paralisação ocorrida no final de maio. Na ocasião, milhares de veículos ficaram estacionados nas estradas e não distribuíram mercadorias, provocando desabastecimento de vários itens em todo o país, como combustível e alimentos.

Para superar o impasse, um dos pontos do acordo foi uma redução de R$0,46 do preço diesel nas refinarias. Desse valor, R$ 0,16 foram obtidos por meio de redução de tributos, R$ 0,30 foram assegurados por meio do programa de subvenção que seria válido inicialmente por 60 dias. Posteriormente, o governo federal decidiu prorrogá-lo até o fim do ano.

De acordo com nota divulgada pela Petrobras, apesar do aumento, o custo praticado nas refinarias será ainda 11,75% mais baixo do que era em 31 de maio, quando foi anunciado o último valor antes do subsídio entrar em vigor. “Esta alteração é consequência da variação do câmbio e do preço internacional do diesel no período”, informou a estatal.

Já considerando o reajuste, o preço médio do diesel comercializado pela Petrobras acumula queda de 2,1% em 12 meses. O valor cobrado nas refinarias da estatal está atrelado, entre outras variáveis, a cotações internacionais do combustível e do câmbio. Já o valor pago pelo consumidor nos postos de combustível agrega outros fatores como a incidência de tributos e as margens de lucro dos distribuidores e revendedores.

Só Notícias/Herbert de Souza (foto: arquivo/assessoria)