Economia

ACES solicitará liberação de eventos corporativos e “pequenas festas” após flexibilização de decreto em Sinop

O presidente da Associação Comercial e Empresarial de Sinop, Klayton Gonçalves confirmou, há pouco, ao Só Notícias, que nas próximas horas encaminhará ofício à prefeita Rosana Martinelli (PL) solicitando a liberação de eventos corporativos e “pequenas festas” em residências particulares, como por exemplo, comemoração de aniversários. O pedido começou a ser elaborado após a flexibilização das medidas de prevenção ao Coronavírus, como a reabertura de bares e tabacarias, permissão para missas e retorno das aulas da educação infantil na rede privada, anunciadas, ontem, pela gestora.

A possível liberação dessas atividades, de acordo com Klayton, beneficiariam profissionais de buffets e do setor de decoração, que estão paralisados já que não há permissão para realização de eventos, conforme prevê o decreto da prefeitura, determinando cancelamento  de todo  e “qualquer evento realizados em locais abertos e fechados, independentemente de suas características, condições ambientais, tipos de público, duração e modalidade”.

“Vamos pedir uma equivalência à prefeita, para que a gente possa voltar a liberar decoradores, buffets e eventos corporativos, para que em pequenos cenários com controles parecidos com o de restaurantes eles possam trabalhar. Acho bacana estar flexibilizando para que todos possam trabalhar, é importante para o município que a gente siga nossa vida com os controles de higiene, colocando a saúde em primeiro lugar, mas queremos aproveitar esse momento e buscar uma equivalência”, destacou Klayton.

O presidente ainda argumentou que “hoje, por exemplo, as famílias podem ir em uma lanchonete e comemorar um aniversário, mas não podem chamar um decorador, um buffet, e fazer a comemoração em suas casas”. “Vamos buscar direitos iguais para outros ramos, que sejam equivalentes ao que está liberado no decreto. Queremos que sejam pequenos eventos, mínimos. Por exemplo, uma festa de aniversário familiar, são pessoas de convívio comum que estarão ali. Não estamos falando em shows, grandes eventos, queremos apenas que libere para que os pequenos voltem a trabalhar ”, enfatizou.

Klayton também apoiou e ressaltou a importância das medidas definidas no novo decreto, como a prorrogação do toque de recolher. “Apoiamos e achamos importante qualquer cenário que venha buscar a diminuição dos casos (de Covid-19). Com certeza o toque de recolher evita justamente essas festas descontroladas. Se as pessoas não podem estar nas ruas, diminui a possibilidade de contágio, e a própria população fica fiscalizando isso, se há fluxo de pessoas e acabam denunciando. Está controlando que evite eventos clandestinos, reuniões nas ruas e precisamos que haja fiscalização”, completou.

Conforme Só Notícias já informou, a prefeita prorrogou o período do toque de recolher até o dia 26 de julho. A medida, que restringia a circulação de pessoas e atividades comerciais entre às 21h e 5h, foi instituída no dia 17 de junho e perderia a validade neste domingo. Agora, as atividades deverão ser encerradas às 21h30.

O novo decreto assinado por Rosana também flexibilizou o funcionamento de parte do comércio. A partir de agora, bares, tabacarias, restaurantes, lanchonetes, conveniências, padarias e demais “estabelecimentos de gêneros alimentícios” podem voltar a funcionar com 50% da capacidade, limitando o máximo de quatro pessoas por mesa e dentro do horário estabelecido pelo toque de recolher. Eles ficaram fechados nos últimos 10 dias.

Só Notícias/Luan Cordeiro (foto: assessoria/arquivo)