Agronotícias

Sinop e Sorriso são destaques em um dos maiores jornais da Europa pelo ‘superpoder da soja’

Sinop e Sorriso, as duas maiores cidades da região Norte de Mato Grosso, foram destaques em matéria especial do jornal El País, da Espanha, que trata sobre “o superpoder da soja no Brasil”. No texto, a jornalista Naiara Galarraga Gortázar considerou que nesses locais “a soja reina”, tratando além do setor econômico, o político predominante.

Gortázar escreveu que o berço da soja é em Sinop, que “fica no coração do Brasil”. Ela lembrou ainda, que com a pandemia, o setor econômico do agronegócio foi o único que conseguiu crescer, e em Mato Grosso “as plantações ocupam cerca de 38 milhões de hectares (como a superfície da Alemanha). A história econômica deste país continental acompanha o ritmo das matérias-primas. A soja é para o século XXI brasileiro o que o açúcar foi para o século XVII, o ouro para o XVIII e o café para o XIX”.

A jornalista ressaltou que o agronegócio vive um momento doce, também ponderou que Sinop é a capital do bolsonarismo no Estado, e lembrou que para os empresários da soja, “a única nuvem no horizonte é a pressão internacional pelo crescente desmatamento na Amazônia, crucial para mitigar as mudanças climáticas”.

“Praticamente oito em cada dez eleitores de Sinop votaram em Bolsonaro, um militar reformado de extrema direita, no segundo turno das eleições presidenciais de 2018. E a admiração persiste. Não é para menos. Ele colocou a chefa da bancada parlamentar do agro como ministra da Agricultura. Aqui todos têm boas palavras para a discreta e decidida Tereza Cristina Dias porque ela abriu novos mercados para eles”.

Ainda sobre a capital do Nortão, Gortázar pontuou, por exemplo, a importância da pavimentação da BR-163. “Na estação das chuvas, circular em muitas estradas nesta região é um inferno. Por isso, os moradores de Sinop estavam fartos de visitas eleitorais e de promessas sobre a BR-163 até a chegada de Bolsonaro. Dito e feito”. Ao El País, o presidente do Sindicato Rural de Sinop, Ilson Redivo também comemorou. “Os presidentes que passaram nos últimos 24 anos não terminaram de asfaltá-la. E em menos de um ano, Bolsonaro pavimentou os 175 quilômetros que faltavam”, disse.

“Os 900 quilômetros agora todo asfaltados encurtam de quatro para dois dias o transporte de cargas até o porto. A outra rota envolve 2.500 quilômetros de caminhão até o Sul e 5.000 quilômetros de barco ao longo da costa do Brasil e países vizinhos para então se dirigir ao Canal do Panamá”. “A economia de tempo e dinheiro é enorme. Agora eles confiam que o presidente também cumpra nos próximos meses a promessa de colocar em licitação o trem que seguiria em paralelo à BR-163 e lhes pouparia mais dinheiro”, diz outro trecho da matéria sobre a Ferrogrão.

Já sobre Sorriso, a jornalista também observou a força do agronegócio. “À frente, o presidente da França, Emmanuel Macron, que acusa a soja brasileira de desmatar a Amazônia. O prefeito de Sorriso, Ari Lafin, sentiu que aquelas palavras de Macron o atingiam. Lógico. Sua cidade, ao sul de Sinop, produz 3% da soja brasileira”. O prefeito Ari Lafin respondeu o francês com um convite, escreveu Gortázar.

“Eu o convidei para nos visitar, como fez o presidente (Bolsonaro), porque esta região deveria ser conhecida mais de perto”, explicou em entrevista por vídeo. “A responsabilidade com o meio ambiente é uma das prioridades do setor agrícola local”, insistiu. “Produzir destruindo é inútil”, conclui.

Em outro ponto, o crescimento do populacional foi ressaltado, com a marca de quase 8% ao ano. “Esta é uma terra, uma cidade, de oportunidades, de muito trabalho. Aqui temos que acordar cedo, quase não temos horário, quase não paramos para descansar. Você coleta a soja e já está plantando milho. Uma colheita após a outra e isso traz um movimento que chega até a farmácia, o vendedor de pneus… “, diz Lafin.

“A prosperidade é imensa. O PIB per capita está acima do de São Paulo. Os empregos que criam não são a mão-de-obra clássica, mas sim vinculados a serviços ou fornecedores. Escritórios de advogados, contadores, comerciantes de máquinas, incorporadores imobiliários, lojas, restaurantes”, finalizou.

Redação Só Notícias (foto: Só Notícias/arquivo)