Agronotícias

Safra de soja na região Norte foi excepcional avalia presidente de sindicato rural em Sinop

A safra de soja 2019/20, que está e sua fase final de colheita, foi uma das melhores dos últimos anos na região Norte. A avaliação é do presidente do Sindicato Rural de Sinop, Ilson José Redivo. “É uma safra para se comemorar. Foram índices bem satisfatórios. Ainda não fechamos (os dados), mas a produtividade passa de 60 sacas por hectare”, disse, ao Só Notícias.

A avaliação feita por Redivo é sustentada por números oficiais. O último boletim do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), publicado na segunda-feira (2), aponta que a região Norte nunca produziu tanta soja como em 2019/20. A estimativa de área total dedicada ao plantio da oleaginosa é de 414 mil hectares, com aumento de 10,7% em relação a 2018/19, o maior registrado por uma região do Estado nesta safra.

Será na região Norte também o maior ganho de produção do Estado em 2019/20: 9,75%. Com isso, a região, que há cinco colhia uma média de 775 mil toneladas, deve finalizar a safra com uma produção recorde de 1,4 milhão de toneladas. Já a produtividade média 57 sacas por hectare, com leve variação negativa de 0,9%.

“Este ano, na nossa região, no eixo da BR-163, o clima foi muito favorável. Deu uns atrapalhos de colheita nos últimos 15 dias, por causa da invertida no tempo. Começou a chover de forma demasiada, prejudicando a colheita. Muita gente colheu grão avariado, com bastante umidade, o que dá desconto na hora de levar os produtos nos armazéns. No geral, foi uma safra excepcional”, afirmou Redivo.

Atualmente, a região Norte e as demais de Mato Grosso se preparam para finalizar a colheita da soja. No Nortão, os produtores terminaram a colheita em 84,4% da área. Já no Estado, os trabalhos foram encerrados em 84,1% da área estimada.

Mato Grosso deve plantar, nesta safra, 9,8 milhões de hectares. A produtividade prevista pelo Imea é de 57,7 sacas por hectare. A produção total estimada passa de 34 milhões de toneladas de soja.

Só Notícias/Herbert de Souza