Agronotícias

Produção de grãos bate recorde em Mato Grosso

Recordista nacional na produção de grãos, Mato Grosso colhe na temporada 2018/2019 a maior safra de sua história agrícola. Plantações de soja, milho, arroz, feijão, girassol e algodão garantem 67,215 milhões de toneladas, segundo estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), no 10º Levantamento da Safra de Grãos. Mais abundante este ano, a colheita estadual terá acréscimo de 8,9% ou de 5,502 milhões (t) em comparação com a safra anterior.

Os números da produção agrícola mato-grossense, corrigidos mensalmente pela companhia, indicam ainda acréscimo de 1,27% ou 849 mil (t) em relação ao 9º Levantamento. Ganho de produtividade e expansão da área plantada levam ao aumento da produção agrícola estadual, que responde por 28% de toda oferta de grãos do país neste ciclo. O Brasil produzirá 240,7 milhões (t), volume também recorde e 5,7% maior que a colheita obtida na temporada anterior.

De acordo com a Conab, tanto em âmbito local quanto no nacional, um dos destaques frente à safra passada é o milho. Em Mato Grosso, a produção do cereal na atual safra será quase equiparada à produção da soja (32,454 milhões/t), carro-chefe da agricultura estadual. Além disso, responderá por 31,7% da oferta brasileira do produto (98,504 milhões/t). Pela estimativa da Conab, serão colhidas 31,234 milhões (t) de milho nesta temporada, quantidade 18,3% maior que a produção obtida no ano anterior (26,4 milhões/t).

As lavouras de milho ocupam 6,419 milhões de hectares neste ciclo, 9,4% acima dos 5,869 milhões (ha) registrados na safra 2017/2018. Outro fator que influencia no aumento da produção é o incremento (8,2%) na produtividade, que passa de uma média de 4,498 mil kg/ha (75 sc/ha) para 4,866 mil kg/ha (81,10 sc/ ha). A produção brasileira de milho está estimada em 98,504 milhões (t) para o ciclo atual, 22% a mais que as 80,709 milhões (t) da safra anterior. “Só tivemos problemas para as culturas de 1ª safra, com dois veranicos seguidos, em dezembro e janeiro”, relembra o superintendente de Informações do Agronegócio da Conab, Cleverton Santana. Posteriormente, o clima se manteve favorável ao cultivo em 2ª safra. “Tivemos uma janela climática excelente a partir de fevereiro. Em maio choveu acima da média em várias regiões e em junho também choveu onde normalmente não chove nessa época. Isso ajudou a manter a midade do solo”, contextualiza Santana.

Outras culturas com desempenho positivo na safra atual são a soja e o algodão. Em Mato Grosso foram colhidas 32,454 milhões (t) da oleaginosa, pouco mais (0,5%) que na safra anterior (32,306 milhões/t). Com esse volume, Mato Grosso assegura 28,2% da oferta nacional da proteína vegetal e que totalizou 115,018 milhões (t) no ciclo 2018/2019, menos (3,6%) que na temporada passada (119,282 milhões/t). Para o ciclo 2019/2020, o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) projeta produção total de 32,831 milhões (t) de soja, pouco acima (1%) da anterior. Na cotonicultura, a estimativa da Conab é que sejam colhidas 1,765 milhão (t) de algodão em pluma em Mato Grosso, volume equivalente a 66,2% da produção brasileira de fibra, estimada em 2,665 milhões (t). Em relação à última safra, a autarquia projeta respectivos aumentos de 36,8% e de 32,9% na oferta estadual e nacional de algodão.

A Gazeta (foto: assessoria)