Agronotícias

Portos do Sul perdem espaço nas exportações mato-grossenses de grãos, diz Imea

O escoamento da produção de grãos de Mato Grosso tem se tornado cada vez mais diversificado nos portos brasileiros. A avaliação é do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), que ressaltou que, apesar de grande parte das saída ainda ocorrer pelos portos sulistas, “esse cenário vem se modificando ao longo dos últimos três anos”.

Conforme o instituto, de 2014 para 2015, a concentração das exportações na região Sul apresentou um declínio de 11 pontos percentuais “e com o passar dos anos foi essa a tendência que se seguiu”. Em contrapartida, as movimentações nos portos do arco Norte se elevaram, “gerando uma maior participação nas exportações dos grãos mato-grossenses, crescendo cerca 15 pontos percentuais desde a safra 14/15”.

De acordo com relatório do Imea, a participação dos portos do Sul nas exportações mato-grossenses caiu de 82%, na safra 2011/12, para 54%, na safra 2017/18. Já a opção pelos portos do Norte saltou de 8% para 37%. O escoamento pelos portos do Oeste se manteve praticamente estável entre 2011 e 2017, passando de 8% para 9% em participação.

Conforme o instituto, a escolha pelos portos do Arco Norte “vem ocorrendo em grande parte pelas melhores condições na rota de escoamento que liga Mato Grosso ao Pará”. Os analistas ainda justificam que as “movimentações nos portos do Oeste se mantiveram estáveis, por atender basicamente a região Oeste do Estado”.

Redação Só Notícias (foto: arquivo/assessoria)