Agronotícias

Mais de 30,1 milhões de bovinos e bubalinos foram vacinados contra febre aftosa em Mato Grosso

Pelo 16º ano consecutivo, Mato Grosso vacinou mais de 99% do rebanho de bovinos e bubalinos contra a febre aftosa. De acordo com o Instituto de Defesa Agropecuária do Estado, nessa etapa foram imunizados mais de 30,1  milhões de  animais de “mamando a caducando”, com exceção daqueles que são criados no Baixo Pantanal e na região Noroeste do estado, reconhecida como zona livre de aftosa sem vacinação.

Em função da pandemia da Covid, esse ano, o órgão dispensou a comunicação presencial da vacinação contra aftosa. Uma forma encontrada para manter o protocolo de biossegurança, protegendo a produtores rurais e servidores do órgão. Atualmente, a população de bovinos e bubalinos no Estado passa de 31,9 milhões de cabeças.

Neste ano, as taxas de vacinação chegaram a 99.67%, contudo foram identificadas 1.045 propriedades sem registro de imunização que serão visitadas pelo Instituto de Defesa Agropecuária do Estado até a total resolução. Ao todo foram fiscalizados 258 estabelecimentos rurais e 286.342 bovinos no decorrer da etapa.

Os 10 municípios que apresentam os maiores rebanhos são Cáceres (1,1 milhão) , Vila Bela da Santíssima Trindade (1 milhão), Juara (930 mil), Juína (811,6 mil), Alta Floresta (808.7 mil), Colniza (699 mil), Pontes e Lacerda (689.5 mil), Vila Rica (674.1 mil), Porto Esperidião (554.9 mil) e Novas Bandeirantes (537.2 mil), juntos passam dos 7,9 milhões de animais, o que representa um quarto dos bovinos e bubalinos de Mato Grosso.

Os números refletem a eficiência do trabalho desenvolvido pelo Indea em parceria com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), ambos responsáveis pela regulamentação, divulgação, educação sanitária, controle e fiscalização da comercialização de vacinas e vacinação animal.

“Estes dados mostram, acima de tudo, que Mato Grosso continua mantendo a sua eficiência na vacinação contra a febre aftosa, o que é de extrema importância para a valorização de nossos produtos e também para o Estado. Atualmente, temos o maior rebanho do país e, em breve, poderemos ser o maior exportador de carne bovina do país”, ressalta o secretário de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso, César Miranda.

Para resguardar os envolvidos na etapa de imunização foram suspensas as vacinações oficiais eletivas, mantendo-se apenas a fiscalização nos casos de denúncia ou maior risco, porém mantendo os cuidados necessários.

Mato Grosso é reconhecido como um estado livre de febre aftosa pela Organização Mundial de Saúde Animal(OIE), sendo a região limítrofe  com Rondônia que engloba os municípios de Colniza, Rondolândia, Aripuanã, Juína e Comodoro, área livre sem vacinação. O último foco de aftosa no estado ocorreu em 1996.

Redação Só Notícias (foto: assessoria/arquivo)