Agronotícias

Lideranças debatem na 2ª expansão da ferrovia de Rondonópolis a Cuiabá e Sorriso

A extensão dos trilhos da Ferrovia Senador Vicente Vuolo ligando Rondonópolis a Cuiabá e, posteriormente, a Sorriso (Nortão) volta a ser discutida em uma reunião na próxima segunda-feira (10),  na Câmara de Dirigentes Lojistas da capital  a partir das 09 hs. Serão apresentados e discutidos diversos assuntos, entre eles, a antecipação do prazo de concessão ferroviária da malha paulista, expansão dos trilhos da ferrovia senador Vuolo até Cuiabá e apresentação do cronograma de ações dos integrantes do fórum.  Diretores da empresa Rumo Logística S.A., concessionária que deverá ser responsável pelo modal, vão estar no encontro.

A obra entre Rondonópolis e Cuiabá está orçada em aproximadamente R$ 2 bilhões; já entre Cuiabá e Sorriso R$ 3,6 bilhões. Com a extensão, o objetivo é diminuir o gargalo logístico, o que pode resultar na atração de novas indústrias e redução de custos ao setor produtivo de Mato Grosso.

O presidente do Fórum Pró-Ferrovia, Francisco Vuolo, explica que o prolongamento do modal beneficiará não só a capital mas também outros municípios do Vale do Rio Cuiabá. “Essa obra também irá contribuir com a atração de indústrias para a região, movimentado de forma significativa a economia do Estado”, destacou.

Os trilhos em Mato Grosso chegam atualmente até o município de Rondonópolis, saindo do Porto de Santos, em São Paulo. A ferrovia foi inaugurada em Rondonópolis em setembro de 2013 e conta com outros terminais localizados em Alto Taquari, Alto Araguaia e Itiquira.

Para o presidente da CDL Cuiabá, que também faz parte do Fórum Pró-Ferrovia, o encontro será de extrema importância para dar andamento nos trabalhos para concretização dessa obra, que trará integração e desenvolvimento para o Estado. “Precisamos prosseguir com esse projeto e torná-lo realidade para o bem do comércio, da indústria e da população mato-grossense, que ao final, será a maior beneficiária desta obra, já que o funcionamento da ferrovia impulsionará a industrialização da Capital e do interior, gerando emprego e produtos mais baratos no mercado”, disse Nelson Soares Junior, lembrando ainda que essa obra também irá resolver um dos maiores gargalos para o agronegócio em Mato Grosso: o escoamento. A informação é da assessoria da CDL.

Só Notícias (foto: Lenine Martins/arquivo)