Agronotícias

Impulsionado pelo milho, Irã se isola como 2º mercado exportador de Mato Grosso

O Irã se isolou na segunda colocação como o segundo maior mercado exportador de Mato Grosso, aproximando-se da China, que ainda lidera o ranking com 31% das compras. De acordo com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), o país do Oriente Médio responde por 24% das vendas externas estaduais, o equivalente a U$ 3,6 bilhões, entre os meses de janeiro e setembro deste ano. A variação é de 463%, ou U$ 2,99 bilhões, a mais do que o mesmo período.

Dentro do Brasil, o estado é o principal mercado iraniano. Dos U$ 4,5 bilhões exportados para o país, U$ 3,6 saíram de Mato Grosso. O valor ajudou a elevar o Irã ao 6º lugar no ranking de maiores compradores do Brasil. O produto preferido dos persas é o milho, que responde por 79% das compras no Brasil todo, a soja tem 11% de participação e a carne tem 5,7%.

O avanço iraniano ao milho muda o perfil da balança comercial de Sorriso, que, na maioria do tempo, tinha a soja como principal produto de exportação. De janeiro a setembro, o MDIC mostra que o milho domina 84% das vendas dos produtores do município e que o Irã é o destino de 81% das vendas.

As vendas para o Oriente Médio ajudaram melhorar o resultado da balança comercial de Mato Grosso, que, conforme Só Notícias já mostrou, tem saldo de U$ 14,3 bilhões entre janeiro e setembro. No superávit de quase U$ 4 bilhões, pelo menos U$ 2,99 pode ser colocado na conta do Irã.

Em 2015 o Irã já havia feito uma grande investida ao milho mato-grossense. Agora, após o rompimento do acordo nuclear com os Estados Unidos e a imposição de sanções econômicas, os persas começaram a procurar outros mercados e a favorecer o Brasil. Especialistas acreditam que o mesmo deve acontecer com a China, que está numa batalha tarifária com os Estados Unidos, principal concorrente do Brasil na exportação de grãos.

Só Notícias/Marco Stamm (foto: arquivo/assessoria)