Agronotícias

Conab estima redução na produção de feijão em Mato Grosso

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estimou uma redução na produção de feijão em Mato Grosso, na safra 2019/2020. De acordo com o 8º Levantamento de Safra do órgão, divulgado este mês, a produção total, considerando as três safras, deverá ser de 340 mil toneladas, 1,4% a menos que na safra anterior, na qual foram produzidas 344 mil toneladas.

Segundo a Conab, Mato Grosso já encerrou a colheita da primeira safra do feijão-comum cores. A área plantada nesta temporada atingiu 2,2 mil hectares, redução de 38% na comparação com 2018/2019. A produção atingida foi de 4,7 mil toneladas (-29%), com produtividade de 2,1 mil quilos por hectare, o que representa um ganho de 12% em relação à temporada anterior. “Mesmo com os bons preços do feijão, a opção pela cultura na primeira safra é preterida à da soja, cultura que apresenta excelente rentabilidade e facilidade de comercialização”, explicou a Conab.

Em Mato Grosso, a colheita do feijão-caupi primeira safra também foi encerrada. A área plantada foi de 6,3 mil hectares, com produtividade média de 1,1 mil quilos e a produção total ficou em 7 mil toneladas. Os números desta cultura, de acordo com a companhia, são similares aos registrados na safra passada.

Na segunda safra, que ainda está em andamento, o feijão-comum cores também deve perder espaço em Mato Grosso. Segundo o levantamento, a área plantada deve cair de 57,6 mil para 41 mil hectares (-28%) e a produção deve passar de 86,9 mil para 69,6 mil toneladas (-19,9%). A produtividade, por outro lado, deve aumentar 12,5%, passando de 1.508 quilos para 1.697 quilos por hectare.

Em relação a esta cultura, a Conab detalha que as lavouras estão, majoritariamente, em estádio reprodutivo, especificamente nas fases de maturação e enchimento de grãos, com boas condições de desenvolvimento, até o momento. A companhia também explica a perda de espaço da cultura na segunda safra em MT. “A preferência de alguns produtores na destinação de área para o cultivo de culturas consideradas mais rentáveis, como o milho, foi fator importante para tal variação”.

Ainda na segunda safra, a produção de feijão-caupi deve ter redução de 1%, passando de 135,4 mil para 134,1 mil toneladas. Mato Grosso destinou 115 mil hectares para esta cultura, com queda em relação à safra anterior, que registrou o plantio de 123 mil hectares. “Tal área representa redução de 7% em comparação a 2018/19 em razão da maior competição com as culturas de milho, algodão e gergelim”, afirma o órgão.

O Estado, por outro lado, deve registrar números positivos na terceira safra de feijão-comum-cores, cultivada em manejo irrigado. Com perspectiva de bons preços, a previsão é de aumento de 17,7% na área plantada, passando de 46,2 mil para 54,4 mil hectares, e de 14,5% na produção, que passará de 108 mil para 124 mil toneladas. A produtividade, em contrapartida, deve ter queda de 2,8%, atingindo 2.291 quilos por hectare.

Só Notícias/Herbert de Souza (foto: arquivo/assessoria)