Ponto Final

MP x judiciário

A mensagem de um promotor de Justiça em Mato Grosso, em grupo de WhatsApp, e esquentou clima entre alguns membros do Ministério Público e Judiciário. O promotor César Danilo Ribeiro de Novais criticou o Poder Judiciário, chegando a afirmar que “o Ministério Público é bem maior que o Judiciário, moral e intelectualmente”. “Aliás, o Judiciário aqui é bem abaixo da média, deixem que falem”, completa. Depois que a mensagem vazou, ele saiu do grupo deixando a seguinte mensagem: “Deixo o grupo porque tudo que é dito aqui é replicado por alguns quinta-colunas, baba-ovo de juiz/desembargador”, criticou. A sua “despedida” também vazou. “Fiz a colocação quando o presidente do TJ, com muita arrogância e soberba, disse que o Judiciário não poderia ser tratado como o Ministério Público pelo Executivo, na questão do duodécimo, porque era Poder”, expôs. A questão da redução do duodécimo, por parte do governo estadual para o Tribunal de Justiça, teria motivado a critica do promotor. O presidente do tribunal, desembargador Rui Ramos, emitiu nota repudindo as declarações. “É lamentável que se pronuncie um integrante do Ministério Público, que tanto nos honra de forma a macular o Poder Judiciário do Estado", "uma instituição centenária, formada por 256 magistrados e mais de 4,5 mil servidores que trabalham diuturnamente em prol da sociedade e, ainda o faça em ambiente onde não se impeça a publicidade de desairosa opinião!”, diz trecho da nota. Ele reforçou que as declarações do promotor não acrescentam em nada na boa relação entre as instituições. “Ao contrário, possuem efeitos perniciosos inclusive por parecer que é a opinião também de outros em relação a todos os juízes e desembargadores”.